Não deixe de conferir:

Olha como vem: 12ª Mostra Cultural A Ordem do Caos abre inscrições

Demoramos mas estamos aqui, porque 2017 não poderia passar em branco sem a 12ª edição da nossa mostra cultural! Há doze anos criamos essa ...

13/12/2012

Nação Nordestina

Por Junior Mattos

Acolhedores, admiráveis, simpáticos, receptíveis, extrovertidos, com o senso de humor elevadíssimo e com um aspecto cultural notado em qualquer lugar do mundo. Essas são apenas meras características do povo nordestino, o mais célebre dos povos. 

Por trás desses 1.558.196Km² de solo nordestino, muitas histórias além do chão são contadas. Diversas culturas, crenças e uma inumerável quantia que se resume em mais de 49 milhões de habitantes. Negros, pardos, brancos, mamelucos, índios, cafuzos ou qualquer outra etnia existente na região são a grande explicação para o multiculturalismo dessa terra.

Quem nunca almejou gozar férias maravilhosas e aproveitar as delícias de Fernando de Noronha? Ou aproveitar e dar uma passadinha nas praias de Salvador e Porto Seguro para saborear uma sensacional comida típica? Passar alguns dias nos Lençois Maranhenses ou desfrutar do carnaval de Olinda não seria uma boa ideia? 

Aqui, o nosso grande e magnífico Brasil teve a honra de ser descoberto, sob a chefia do navegador português e fidalgo Pedro Álvares Cabral, no Monte Pascoal. Ainda, o Nordeste foi pioneiro na sede do Governo-Geral do País, tendo como Capital nada mais, nada menos, do que Salvador, a terra de todos os santos, a maravilha da Bahia.

Deixemos de lado o contexto histórico e geográfico da região e vamos ao que realmente interessa: que tal nos deliciarmos com um magnífico acarajé, um vatapá, caruru, bobó de camarão, bolo de rolo, rapadura, cocada, beiju, baião-de-dois ou uma maravilhosa moqueca? Se pesou, temos uma receitinha mais light para os nossos amigos turistas, que abusam em passar suas férias nessa terra paradisíaca. Poderíamos, então, sugerir cupuaçu, seriguela, cajarana, umbu, pitomba, mangostim, jenipapo ou quem sabe até algumas mangabas para que sejam deliciadas, que tal? 

Não fiquemos “aperriados”, fazendo “panavueiros”, nada de coisa “labuá” e muito menos deixe que o “beré inche”, “ôxente!” Melhor parar com tudo isso e irmos logo aproveitar esse Nordeste, pois falar dessas coisas me deixou “varado de fome” e acredito que os meus amigos leitores também. 

Junior Mattos tem 19 anos, é formado em Gestão de Recursos Humanos, é estudante de teatro, gosta de ler, escrever e participar de atividades culturais. Ele colabora com o AODC Notícias quinzenalmente, sempre às quintas-feiras, falando sobre a cultura nordestina.