Não deixe de conferir:

12ª Mostra Cultural A Ordem do Caos - Programação

Pra quem estava ansioso, este ano a tradicional Mostra Cultural do grupo A Ordem do Caos ocorre no mês de agosto! Com atrações totalm...

20/10/2014

Sem água uma cidade não pode sobreviver


Por Talita Araújo



Anne Whiston Spirn
Hoje quero falar de um assunto que há alguns meses é o principal comentado nas conversas de ponto de ônibus, escritório, boteco, escola, faculdade, casa, igreja, praças... A falta de água.
O livro “O jardim de granito” de Anne Whiston Spirn, tem um capítulo inteiro dedicado ao bem maior da humanidade: Água. Neste livro, é abordado desde o desperdício até sistemas de drenagem eficazes. Percebe-se que o Brasil é um país que tem a água como parte de sua cultura. Não somente como uma ferramenta para a sobrevivência, nosso hábito de tomar banho, muitos banhos e, acima de tudo, cultural. Por fazer parte de nossa cultura e termos em “abundância” acabamos por só nos preocupar com a falta dela, quando ela falta mesmo. Esquecemo-nos de prevenir, preservar e quando ela falta, traz drásticas medidas como as experimentadas por São Paulo nestes últimos meses.


Um exemplo de desperdício que temos e que a autora cita no livro, é a irrigação de jardins com água potável. Existem casas novas, que possuem seu sistema de drenagem e captação da chuva para a irrigação de jardins, mas assim como na nossa cultura a água é tão importante, a sua preservação não deveria ser algo novo ou inovador. Além disso, lavar calçada com mangueira, como temos visto menos nestes últimos dias, também expressa essa cultura de que só está limpo quando está molhado.

(Uberlândia, Minas Gerais- Próximo a Prefeitura Municipal e a Universidade Federal de Uberlândia- 
Beco da Canela Bar. Foto tirada em 10/10/2014 – por Talita Araújo)

(Uberlândia, Minas Gerais- Próximo a Prefeitura Municipal e a Universidade Federal de Uberlândia- 
Beco da Canela Bar. Foto tirada em 10/10/2014 – por Talita Araújo)



A Coreia do Sul, com o rio Han, é um dos maiores exemplos de cuidado com a água e com a consciência ecológica: Foi revitalizado e, além de abastecer a cidade, se tornou um parque no meio da cidade.


RIO HAN



RIO HAN


Banpo Bridge


Se você quer ter água também, denuncie os desperdícios. Mas acima de tudo não desperdice. Nós não somos as vítimas da falta da água, nós somos os culpados.

Sabesp (SP): 181 (Disque denúncia em parceria com a Sabesp)
DMAE (Udia –MG) 0800 940 7272 - 3233-4611

Utilize as redes sociais também.
Abraço econômico.



Fontes:




Talita Araújo cursa Arquitetura e Urbanismo, perfeccionista e amante das artes. Escreve quinzenalmente aos domingos para o AODC notícias.