Não deixe de conferir:

Temporada do espetáculo teatral "O Rouxinol e a Rosa"

O grupo teatral A Ordem do Caos convida você para assistir à temporada do espetáculo O Rouxinol e a Rosa, no CEU Caminho do Mar. Com ...

17/01/2015

História que ouvi de alguém por ai - Vol.1

Por Beatriz Xavier 

Já faz um tempo que eu criei certo amor pela cozinha. Acho que você fica mais apaixonado pela comida quando engorda vinte quilos... Mas não toquemos nesse assunto.

Comecei a cozinhar pra valer ano passado, teve início a doença da minha mãe e logo a mim foi determina a cozinha... Sejamos francos, meu irmão na cozinha é algo que você deve evitar, caso contrário terá como resultado arroz queimado, tampas de plástico derretidas sobre a panela e frango cru... Entre outras atrocidades... Por essas e outras que a Cozinha tornou-se meu território.

Em um dia de calor, estava eu cozinhando ovos, quando de repente lembrei-me de certo professor, serei franca, não me recordo de seu nome... Mas a história era muito boa.


Em determinado dia, esse professor, quando ainda era jovem, seguia pela CPTM em pleno horário de pico com um amigo. Nas mãos do amigo a marmita devidamente amarrada com um pano de prato, que de determinada forma fazia a função de sacolinha...

Como todos bons paulistas, eles foram enfrentar o grande monstro chamado Trem das Seis, tudo para cruzar a cidade e chegar a tempo no colégio.

Pessoas se apertando, empurra, empurra, empurra. Falta de ar, aperto, empurra. BIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII. Trem chegando. Empurra, Empurra, Empurra... Trem parando na plataforma. Todos em seus lugares. RES-PI-RA-ÇÃO PRE-SA...
As portas de abrem...


Naquele momento o amigo de meu professor foi levado pela multidão, ergueu as mãos em uma tentativa tola de segurar a multidão atrás de si. (Anteriormente foi questionado “Por que não a guarda na mochila?” E sinceramente, eu não lembro o motivo de não tê-la guardado, mas me lembro do que aconteceu...). E de repente, bastou um passo errado! Tropeçou no espaço entre o trem e a plataforma, foi arrastado, a marmita fugiu, nela dois ovos cozidos com a gema mole se esparramaram pelo chão... A Marmita ficou na porta, sabe-se deus como, o amigo de meu professor ao lado dele na outra extremidade. O amigo com o rosto rubro... Meu professor rindo lhe pergunta:
           
            - Não vai pegar a sua marmita?
            - Que marmita?

fotos:http://www.mobilize.org.br/midias/noticias/plataforma-da-estacao-luz-da-cptm1.jpg
http://ww2.baguete.com.br/admin//cache/image/noticias/2015/01/1421087570_cptm.jpg


Beatriz Xavier (Bia), 20 anos, é estudante de Licenciatura em Letras no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo. Desde os doze anos de idade tinha certeza que seria escritora, hoje não possui mais tanta certeza, porém esse sonho ainda reina em seu mundinho. Escreve quinzenalmente aos sábados crônicas para o AODC Notícias.